A câmara de Lisboa terminou o ano de 2014 com uma dívida consolidada de 617,7 milhões de euros, menos 25,5 milhões do que no ano passado (643,2 milhões), segundo resultados provisórios apresentados esta segunda-feira pelo vice-presidente do município.

De acordo com as contas apresentadas, cujos resultados finais deverão ser publicados em abril ou maio, esta redução da dívida foi conseguida graças ao crescimento das receitas fiscais, sobretudo do IMT (Imposto Municipal sobre as Transmissões Onerosas de Imóveis), mas também das empresas municipais, nomeadamente da EMEL.

Segundo o autarca, a redução da dívida poderia ter sido maior, se fossem excluídos os valores relativos à Bragaparques, caso em que a dívida passaria para os 516 milhões de euros.