O Conselho de Ministros aprovou nesta quinta-feira a nomeação de José de Monterroso Teixeira como presidente do conselho de administração do Organismo de Produção Artística (Opart), e de Sandra Maria Albuquerque e Castro Simões como vogal. O anúncio foi feito esta quinta-feira, através de comunicado do gabinete do secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier.

As nomeações, que têm parecer positivo da Comissão de Recrutamento e Seleção para a Administração Pública (Cresap), têm “efeito a partir de hoje”, explica o texto oficial.

O Opart faz a gestão do Teatro Nacional de São Carlos, da Orquestra Sinfónica Portuguesa e da Companhia Nacional de Bailado. José António Falcão foi nomeado em fevereiro de 2014, não chegando a cumprir um ano no cargo. Também o vogal João Rodrigues Consolado foi exonerado, mas o pianista Adriano Jordão mantém-se como vogal da administração.

Os motivos para a substituição não foram revelados, mas o mal-estar entre a secretaria de Estado e o OPART agravou-se aquando da saída de Paolo Pinamonti do cargo de consultor artístico do São Carlos, alegando incompatibilidade com a direção do Teatro da Zarzuela, em Madrid. No final de dezembro, José António Falcão disse ao Observador que estavam a tentar chegar a um acordo com o musicólogo italiano, mas as negociações não se terão concretizado, o que pode explicar a decisão de Barreto Xavier.

José de Monterroso Teixeira é doutorado em História pela Universidade Autónoma de Lisboa e desempenhou, entre outros, os cargos de Diretor do Museu Biblioteca da Fundação da Casa de Bragança, do Paço Ducal de Vila Viçosa, do Museu de Évora (1988-1992) e do Centro de Exposições do Centro Cultural de Belém (1992-1997). Entre 2002 e 2006 foi Diretor-Geral de Cultura da Câmara Municipal de Lisboa. Recebeu, em 1987 e em 2013, o Prémio da Academia Nacional de Belas-Artes de Lisboa. Em 1998, no Rio de Janeiro e sob a égide do
ICOM (International Council of Museums), foi galardoado com o Prémio Museion-Triomus.

Sandra Maria Albuquerque e Castro Simões é licenciada em Economia pela Faculdade de  Economia da Universidade de Coimbra. Entre 2011 e 2014 exerceu o cargo de vogal do Conselho de Administração do Teatro Nacional D.Maria II, com a responsabilidade da área financeira. Em 2011 foi nomeada diretora de serviços de gestão de recursos da Direção-Geral das Atividades Culturais. Antes disso, durante 14 anos (1996-2010) esteve na Câmara Municipal de Lisboa, como técnica superior na área de Economia e Finanças.