O líder da Coreia do Norte afirmou que Pyongyang não vai ficar de braços cruzados enquanto “cães raivosos ladram”, numa aparente reação ao comentário do Presidente dos EUA sobre um eventual colapso do regime, informou a agência oficial.

Kim Jong-Un proferiu estas declarações enquanto supervisionava exercício militares, indicou a agência KCNA, sem especificar a data da realização das manobras aéreas e navais.

“Ele apenas declarou estar fora de questão a possibilidade de ficarmos de braços cruzados perante os cães raivosos que ladram abertamente que vão deitar abaixo [o regime] através da introdução de ‘mudanças’ no sistema socialista, um berço que o nosso povo considera mais valioso do que as suas próprias vidas”, diz um despacho da KCNA.

O líder norte-coreano acrescentou que Pyongyang está pronta para “qualquer guerra, incluindo uma com as forças armadas tradicionais e uma nuclear”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Numa entrevista, no passado dia 22, ao YouTube, o Presidente dos Estados Unidos invocou a possibilidade de o regime norte-coreano colapsar.

A Coreia do Norte é “a nação mais isolada, a mais penalizada e a mais hermética à face da Terra”, disse Barack Obama, afirmando que a Internet acabará por penetrar no país, e que “se assistirá ao colapso deste tipo de regime”, estando os Estados Unidos a procurar formas de acelerar o fluxo de informação no país.

No passado domingo, um porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros norte-coreano qualificou de absurdos os comentários, acrescentando que as tentativas para derrubar o regime apenas vão fortalecer a unidade no seio do povo norte-coreano.