O Departamento de Estado norte-americano vai anunciar, no final deste mês, a nomeação de um embaixador para defender os direitos de homossexuais, bissexuais e transexuais (LGBT) em qualquer parte do mundo. A informação foi divulgada esta quinta-feira pelo Boston Globe citando um funcionário do departamento.

O senador do Massachusetts, Edward Markey, tentou que a criação de um enviado especial pelos direitos dos LGBT fosse tornado um projeto-lei, mas a proposta foi rejeitada pelo Congresso. Os republicanos no Congresso opõem-se fortemente a uma alteração à Lei da Defesa Internacional dos Direitos Humanos.

Mas o senador Markey conseguiu levar uma ideia semelhante à Câmara dos Representantes, na semana passada, contando com o apoio do deputado democrata Alan Lowenthal, de Nova Iorque. Porém, Chris Smith, representante republicano deste órgão, disse, citado pelo Mother Jones, que “não considera os direitos homossexuais como direitos humanos” e sugeriu que o apoio da Casa Branca aos direitos LGBT tem um efeito negativo no combate ao terrorismo na Nigéria.

Na esperança de que a proposta seja aprovada, o Departamento de Estado já se encontra a avaliar candidatos e espera poder ter a escolha feita até ao final de fevereiro. A criação deste posto sempre foi uma ambição do secretário de Estado John Kerry, que faz da luta pelos direitos dos LGBT o mote do mandato.