Henrique VIII, de Inglaterra, quase casou uma sétima vez, mas desistiu da ideia por causa do mau feitio da futura mulher. A revelação foi feita por David Baldwin, autor do livro Henry’s VIII Last Love, que conta a história de Katherine Willoughby, a duquesa que queria ser rainha de Inglaterra.

O rei inglês, conhecido por ter casado seis vezes, pensou divorciar-se da última mulher, Catarina Parr, para se casar com Katherine Willoughby, duquesa de Suffolk e 28 anos mais nova. Mas a história dos dois amantes é muito mais antiga, como relata o Daily Mail.

640px-Catherine_Parr_from_NPG

Catarina Parr, última mulher de Henrique VIII – Wikimedia Commons

O par conheceu-se na década de 1530 e manteve um romance durante vários anos. Na altura, Katherine estava casada com Charles Brandon, o primeiro duque de Suffolk. Henrique, obcecado por ter um herdeiro, acreditava que a duquesa e mãe de dois filhos podia ajudá-lo a perpetuar a dinastia Tudor. Mas tal nunca aconteceu. “É possível que achasse que a jovem viúva e mãe de dois filhos era a solução para o seu problema”, referiu Baldwin ao jornal britânico. “Não terá sido o primeiro homem a pensar que uma relação nova e mais excitante iria, de algum modo, restaurar a juventude perdida”. Na altura, Henrique tinha cerca de 40 anos.

Depois da morte de Joana Seymour, em 1537, Henrique casou com Ana de Cleeves, Catarina Howard e, finalmente, com a protestante Catarina Parr, num espaço de apenas três anos. Durante todo este tempo, Katherine esperou que o rei a pedisse em casamento, mas tal nunca aconteceu. Chegou mesmo a pedir ajuda a Thomas Cromwell, primeiro-ministro de Henrique VIII, mas o casamento nunca chegou a acontecer.

Catherine,_Duchess_of_Suffolk_by_Hans_Holbein_the_Younger

Catherine Willoughby, duquesa de Suffolk – Wikimedia Commons

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Muitas vezes os rumores não têm fundamento, mas há indicações fortes de que o rei Henrique achava Katherine bonita”, disse Baldwin. Após o casamento do rei com Catarina Parr, Katherine tornou-se aia da rainha, passando a frequentar regularmente a corte. A certo ponto, o par chegou mesmo a trocar presentes de ano novo.

Na corte, Katherine era conhecida por ser faladora e por ofender publicamente os outros membros da aristocracia. Tinha por hábito vestir o cão de padre e chamar-lhe de Stephen, em honra do bispo católico Stephen Gardiner, de quem não gostava. Era também conhecida por gostar de dar sermões sobre religião, sobretudo ao rei.

No livro Henry’s VIII Last Love“, Baldwin sustenta que, pela primeira vez, o rei conseguiu resistir ao gosto por mulheres de personalidade forte. “Era evidente que Henrique gostava muito de Katherine”, salientou. “Gostava do seu mau feitio mas, enquanto esposa, a história era outra”. A duquesa era chamada de “virago” (uma mulher dominadora) na corte, e o seu mau feitio e língua afiada fizeram com que o rei temesse que o casamento fosse um desastre. “Ela podia ter sido a sétima mulher, mas ele se calhar ficou um bocado casando. Não seria de admirar, afinal já tinha tido seis mulheres”, acrescentou o autor.