O primeiro-ministro português pediu esta quarta-feira à Espanha e à França para identificarem mais projetos de interligação elétrica entre os dois países, a fim de cumprirem a meta de 10% de interconexões até 2020.

“Esta cimeira permitiu avanços muito importantes, incluindo o apelo partilhado para que sejam identificados e apresentados à União Europeia os projetos necessários – até hoje estão identificados os que permitem chegar a 8% – mas precisamos ainda de projetos suplementares para chegar aos 10% em 2020”, declarou Pedro Passos Coelho no final da cimeira tripartida em Espanha, entre Portugal, Espanha e França, com a presença do presidente da Comissão Europeia.

Os três países assinaram uma declaração conjunta na qual se comprometem a trabalhar em conjunto para que a Península Ibérica deixe de ser uma “ilha do ponto de vista energético”, isolada do resto da Europa.

“Chegamos a um entendimento entre os três países, com um envolvimento grande da Comissão Europeia. (…) Creio que esta cimeira demonstra muito bem o compromisso destes três países, Portugal, França e Espanha, bem como das instituições europeias, quanto aos objetivos de interligações de capacidade elétrica até 2020”, disse o primeiro-ministro português.

Este objetivo, disse Passos Coelho, “é crucial para a realização de um verdadeiro mercado interno de energia, o que por sua vez poderá traduzir-se em preços mais baixos para os consumidores, em investimentos mais eficientes em energia renovável e em melhor segurança energética”.