Luís Figo, candidato à presidência da FIFA, está de acordo com a decisão de disputar o Mundial Quatar 2022 durante os meses de novembro e dezembro, decisão aprovada quinta-feira pelo comité executivo da FIFA.

“Creio que o Qatar merece respeito e agora, que há uma decisão, espero que todos consigam organizar um grande Mundial”, afirmou Luís Figo, em comunicado.

O antigo futebolista considerou que, no futuro, a escolha do local e do calendário do Mundial “deve ser o mais consensual possível, ter em conta saúde de jogadores, árbitros e adeptos, e tomada depois de terem sido consultados todos os envolvidos”.

O Comité Executivo da FIFA anunciou quinta-feira que o Mundial de futebol do Qatar vai ser disputado em novembro e dezembro de 2022, com a final marcada para 18 de dezembro.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Pela primeira vez, um Campeonato do Mundo de futebol não vai ser jogado no verão, devido às elevadas temperaturas naquela zona durante os meses de junho e julho, data habitual da competição.

Luís Figo, de 42 anos, é um dos quatro candidatos à presidência da FIFA, agendadas para 29 de maio, e às quais concorrem também o atual presidente, Joseph Blatter, o príncipe jordano Ali bin Al Hussein, e Michael van Praag.

Na quinta-feira, o antigo jogador português tinha lamentado a inexistência de um debate entre os quatro candidatos.

“Lamento que não haja um debate entre os candidatos. Continuarei a apresentar as minhas ideias pela reforma e transparência no futebol”, referiu Figo, numa mensagem divulgada nas redes sociais.