Um professor morreu e pelo menos quatro pessoas ficaram feridas após um menor com 13 anos ter disparado uma besta na escola Joan Fuster em Barcelona, Espanha, segundo as autoridades espanholas, escreve o jornal El País. O ataque ocorreu por volta das 9h15 da manhã desta segunda-feira perto da Avenida Meridiana de Barcelona, no bairro de La Sagrera.

Segundo testemunhas presenciais, o menor terá chegado à escola para uma aula por volta das 9h00 desta segunda-feira, uma hora mais tarde do que o habitual. De seguida, ter-se-á dirigido diretamente para a sala de aula. Quando a professora lhe abriu a porta, o agressor terá disparado a besta para perto da cara. Logo de seguida disparou contra a sua filha, também aluna no instituto. O professor da aula que decorria na sala ao lado, apercebendo-se do ataque, dirigiu-se ao local na tentativa de o parar. Nesse momento, o agressor disparou também contra o peito do professor, conta o jornal El Mundo.

O professor, que seria um substituto [há poucas semanas na escola], morreu pouco depois.

O agressor dirigiu-se de seguida para outra sala de aula, onde ameaçou um aluno com uma faca. Perante o sucedido, os restantes professores fecharam os alunos nas respetivas salas de aula. Pouco depois, o professor de Educação Física encontrou-o no corredor a preparar uma bomba de gasolina. “Eu oiço vozes. Quero parar todas as vozes”, terá dito o jovem de acordo com o professor de Educação Física que o acalmou enquanto a polícia não chegava. O professor tinha conhecimento de que o agressor estava a passar dificuldades pessoais, escreve o jornal inglês The Guardian.

Um outro professor da escola, que não quis ser identificado, afirmou que o rapaz de 13 anos era “bastante amigável para com os professores” e que nunca apresentou nenhum comportamento “desviante”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O autor do ataque, de 13 anos, é inimputável e não está detido pelas autoridades, informou um porta-voz da polícia autonómica da Catalunha, segundo a agência Lusa. O jovem foi identificado e permanece sob custódia no interior do estabelecimento escolar. Os protocolos policiais aplicados ao jovem estão a seguir a Lei da Criança.

O liceu foi evacuado e os alunos concentraram-se na praça Ferran Reyes, no bairro de La Sagrera de Barcelona. Segundo a agência EFE, alguns alunos foram atendidos pelos Serviços de Emergências Médicas devido a crises de ansiedade. Os três feridos foram levados para um hospital mas não apresentam ferimentos graves.

A diretora da escola, Dolors Perramon, e o ministro da Educação catalão expressaram o seu “profundo pesar” para com o incidente. Na terça-feira as aulas da escola Joan Fuster serão substituídas por aconselhamento.

Os alunos que testemunharam ou dizem ter testemunhado os acontecimentos têm vindo a dar informações a partir da praça Ferran Reyes utilizando os telemóveis. Alguns deles, companheiros de sala do jovem que atacou a escola, afirmaram que este teria repetido várias vezes na semana passada que iria matar todos os professores da escola e que se suicidaria em seguida.

Aluno levava na mochila ingredientes para fazer Cocktail Molotov

O El País avançou que descobriram na mochila do aluno material para fazer um Cocktail Molotov, arma explosiva que é uma garrafa que contém substâncias inflamáveis.

O menor foi levado para a unidade psiquiátrica de um hospital de Barcelona e, de acordo com a conselheira da educação catalã, Irene Rigau, assegura que os primeiros indícios apontam para um ataque psicótico.

O Governo catalão decretou luto esta terça-feira, dia 21 de abril, pela morte da professora. Entretanto a professora atingida pela besta já teve alta no Hospital Sant Pau, em Barcelona, pela 16:15.