O tenista português Pedro Sousa contrariou este domingo as previsões e venceu o romeno Victor Hanescu, semifinalista do último Portugal Open, por 6-1, 6-7 (2-7) e 6-3, avançando para a ronda decisiva da fase de qualificação do Estoril Open.

Benfiquista convicto, Pedro Sousa esperava poder jogar antes de o ‘seu’ clube entrar em campo para o `clássico´ com o FC Porto, da I Liga de futebol, mas a chuva pregou-lhe uma partida e o lisboeta entrou no ‘court’ central, para defrontar o segundo pré-designado da fase de qualificação e 149.º jogador ATP, ao mesmo tempo que a bola começava a rolar no estádio da Luz.

“Estive o dia todo à espera, pensei que, sendo o segundo encontro do dia, ia conseguir estar lá sem problemas. Nem dei o meu lugar de cativo, porque achei que ia estar a tempo. No final do segundo ‘set’ fingi que fui à casa de banho para saber como estava o jogo. Soube que estava 0-0 nos descontos e fiquei mais descansado”, confessou, entre risos, na conferência de imprensa no Clube de Ténis do Estoril.

Talvez por isso, o 986.º tenista mundial começou com pressa, quebrando sucessivamente o serviço de Hanescu, ‘carrasco’ dos portugueses em anos anteriores, para fechar o primeiro ‘set’ em 25 minutos, por 6-1.

O experiente romeno, que no ano passado eliminou Gastão Elias nos quartos de final rumo às ‘meias’ e em 2013 e 2011 derrotou Rui Machado logo na primeira ronda da anterior versão do torneio, jogada no Jamor, começou melhor o segundo parcial, quebrando de entrada.

Mas Sousa, de regresso ao seu melhor nível depois de um período conturbado de lesões, respondeu de imediato, com os dois a serem incapazes de manter o seu jogo de serviço até o ‘set’ estar igualado a 3-3.

O equilíbrio manteve-se até ao 5-5, com o luso a ser quebrado e a quebrar logo de seguida, para forçar o ‘tie-break’, que perdeu por 7-2.

No terceiro parcial, já iluminado pelas luzes do ‘court’ central, uma inovação do novo torneio, o lisboeta, de 26 anos, conseguiu um ‘break’ de vantagem, que manteve a custo e apesar das dificuldades físicas evidenciadas para vencer por 6-3, depois de quase duas horas em campo.

“Estou bastante contente. Desde que fui operado a segunda vez, este é o primeiro torneio grande que estou a jogar. Não estava à espera de chegar aqui e ganhar no ‘qualy’ a quem quer que fosse”, assumiu, revelando que hoje ainda sentiu algumas dores no pulso.

Primeiro português a vencer o romeno no maior torneio nacional, Sousa confessou que pediu conselhos a Rui Machado, “que perdeu com ele três vezes”, e aproveitou as dicas recebidas.

Na terceira e última ronda do ‘qualifying’, Sousa vai defrontar o francês Constant Lestienne, que bateu Gonçalo Falcão, por duplo 6-0.