Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Acusado de sete crimes de difamação com publicidade – por ter falado a vários órgãos de comunicação social -, Manuel Maria Carrilho foi ontem sentenciado a pagar uma multa diária de 20 euros durante 320 dias e ainda a pagar uma indemnização de 25 mil euros ao padrasto de Bárbara Guimarães por tê-lo acusado de violação. A acusação diz estar satisfeita, embora o valor não reponha a honra do padrasto da apresentadora. Já a defesa diz que vai ler a sentença para decidir sobre possível recurso.

Os jornais Público e i noticiam esta terça-feira que Manuel Maria Carrilho acabou por ser condenado por três dos sete crimes de que estava acusado e que pagará uma multa de 6 mil euros e uma indemnização de 25 mil euros por ter acusado indevidamente o padrasto de Bárbara Guimarães de a ter violado quando esta era mais nova. As afirmações foram feitas a três órgãos de comunicação social diferentes.

A defesa de Carrilho ainda pode recorrer desta decisão.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR