Um alto responsável da Al-Qaeda na península arábica (Aqpa), Nasser Al-Ansi, que reivindicou o ataque da organização contra o Charlie Hebdo foi morto por um drone, um avião não tripulado, norte-americano no Iémen, anunciou a organização.

A informação foi divulgada pelo centro americano de vigilância de páginas na Internet islamitas (SITE), que cita um comunicado da Aqpa.

Este estratego militar da rede islamita surgiu em diversos vídeos da Aqpa. Num deles, difundido em 14 de janeiro, afirmava que o seu grupo tinha conduzido, por intermédio dos irmãos Kouachi, o ataque que tinha dizimado uma semana antes a redação do Charlie Hebdo, para “vingar” Maomé, caricaturado pelo jornal satírico francês.

Num outro vídeo, em dezembro de 2014, acusou o Presidente norte-americano Barack Obama de total responsabilidade pela morte dos dois reféns norte-americano e sul-africano, Luke Somers e Pierre Korkie.

Os dois homens foram mortos no Iémen no decurso de uma operação falhada desencadeada pelos Estados Unidos e na véspera do fim do ultimato fixado pela Aqpa, que pela voz de Ansi ameaçava executar o norte-americano, raptado em setembro de 2013 em Sanna, a capital do Iémen.

Segundo o SITE, a morte de Ansi foi anunciada por Abou al-Miqdad al-Kindi, um responsável da Aqpa, num vídeo de 11 minutos difundido na rede social Twitter.

O SITE precisa que “segundo as informações da imprensa, Ansi foi morto em abril com o seu filho e seis outros combatentes por um raide de drone em Moukalla, uma cidade da província de Hadramut no Iémen”.

Os Estados Unidos são o único país a possuir drones nesta região.