A justiça britânica condenou hoje um enfermeiro a prisão perpétua pela morte de dois doentes e o envenenamento por insulina de 19 pacientes.

Victorino Chua, de 49 anos, terá de passar um mínimo de 35 anos na prisão, segundo a deliberação do tribunal de Manchester Crown. O enfermeiro filipino injetou insulina em sacos de soro, ampolas e em outros produtos de saúde quando trabalhou em duas enfermarias no Stepping Hill Hospital, uma unidade hospitalar localizada perto de Manchester, noroeste de Inglaterra, entre junho e julho de 2011. Quando outros enfermeiros do hospital utilizaram, de forma não intencional, os produtos adulterados, os doentes, a maioria idosos, acabaram por sofrer uma overdose de insulina.

Victorino Chua foi considerado culpado da morte de dois doentes: Tracey Arden, de 44 anos, e Derek Weaver, de 83 anos. O enfermeiro também provocou danos corporais graves a um terceiro doente, Grant Misell, de 41 anos, que sofreu danos cerebrais.

Ao ler a sentença, o juiz Peter Openshaw afirmou que o enfermeiro cometeu “um crime terrível” e “deve pagar o preço”. Familiares de algumas das vítimas estiveram presentes no tribunal e ouviram em silêncio a leitura da sentença.

Victorino Chua foi detido em janeiro de 2012 e o julgamento durou três meses. Na segunda-feira, o tribunal de Manchester Crown considerou Victorino Chua culpado de duas acusações de homicídio, de uma acusação de ofensas corporais graves e de 22 acusações de tentativa de lesões corporais graves, entre outras acusações.

Os investigadores responsáveis pelo caso descreveram o enfermeiro como um psicopata narcisista, afirmando ainda que o acusado não mostrou qualquer sinal de remorso pelos crimes cometidos.