O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) marcou uma greve nacional para quinta e sexta-feira contra a “degradação das condições de trabalho” destes profissionais e pela valorização da carreira de enfermagem.

O presidente do sindicato, José Carlos Martins, acusou o governo de ter poupado os últimos anos cerca de 190 milhões de euros à custa dos enfermeiros, nomeadamente com o aumento do horário de trabalho para as 40 horas semanais, com os cortes nas horas de penosidade, bem como através do congelamento de escalões.

Em conferência de imprensa, esta segunda-feira em Lisboa, os enfermeiros reconheceram que tem havido “um volume razoável” de enfermeiros admitidos, mas lembram que continua a ser insuficiente para as necessidades.