Está muito calor, o Sol não dá tréguas e a água é o novo melhor amigo. A piscina mais próxima parece o lugar ideal para refrescar o corpo, mas mergulhar de cabeça em obras de arte também pode ser satisfatório.

Não é preciso ir muito longe, embora precise de juntar seiscentos euros antes de se aventurar para a Casa no Tempo, em Montemor-o-Novo. A apenas uma hora da capital portuguesa, esta quinta alentejana é sinónimo de sossego. A piscina está ao nível do chão, como se de um lago se tratasse, o que conferiu ao local o oitavo lugar na lista das 82 melhores piscinas do mundo da Condé Nast Traveller.

Lá fora, há alternativas mais baratas, principalmente para quem gosta de estar entre a multidão. Mas é preciso chegar lá. Os alemães combatem o calor através de uma piscina suspensa por cima do rio Spree e podem até deitar-se na areia por apenas seis euros. Se a ideia é não gastar um tostão para nadar, apanhe o próximo avião para Paris, onde até meados de agosto uma das margens do rio Sena se transforma em praia. Sim, com vendedores de gelados e tudo!

Para os mais excêntricos, o destino ideal pode estar em Hong Kong – com uma piscina suspensa no 29º andar e com paredes de vidro – ou em Itália, onde algumas caves foram reabilitadas para se transformarem em hotéis que parecem casulos: uma das caves é uma piscina.

Temos oito piscinas fora de série para mergulhar este verão. Em qual delas vai mergulhar de cabeça?