O ‘arquiteto’ do atentado de Mumbai em 1993, Yakub Memon, foi executado esta quinta-feira por enforcamento na Índia, depois de ter sido considerado culpado de coorganizar os ataques que mataram centenas de pessoas.

Memon foi enforcado na prisão de Nagpur, no estado de Maharashtra, pelas 07h00 (02h30 em Lisboa), no dia do seu 53º aniversário, de acordo com os canais televisivos NDTV e CNN-IBN, depois de o último pedido de clemência ter sido rejeitado pelo Presidente indiano e pelo Supremo Tribunal.

A agência Press Trust of India, que também noticiou a execução, indicou que o corpo deverá ser entregue à família.

A bolsa de Bombay, os escritórios da Air India e um hotel de luxo estiveram entre uma dezena de alvos das explosões de março de 1993, que mataram 257 pessoas, naquele que foi considerado o ataque mais mortal da história do país.

Memon, contabilista de profissão, foi o único dos 11 condenados pelo atentado a ver a sua pena de morte confirmada após recurso. As penas dos restantes intervenientes foram comutadas para prisão perpétua.

O homem negou qualquer envolvimento com as explosões durante o julgamento e processos de recurso.