Chegou esta terça-feira à televisão pública australiana (SBS) a terceira edição de um reality show que está a gerar controvérsia. Chama-se “Go Back To Where You Came” (em português, “Volta para onde vieste”) e é um programa com três partes onde seis concorrentes são filmados em cenários de guerra no Iraque, Síria e Myanmar. O objetivo é o de “desafiar as perceções [dos participantes] em relação aos refugiados e exilados, numa viagem imersiva em alguns dos lugares mais inóspitos e perigosos da Terra”, lê-se no site do programa. Num dos episódios, os participantes foram alvos de disparos pelo grupo terrorista Estado Islâmico (EI), na Síria.

Num dos episódios gravado na Síria, os participantes encontram-se a cerca de 800 metros do território ocupado pelo EI. Kim Vouga, uma das concorrentes, contou que o grupo jihadista teria disparado sobre os participantes, forçando-os a esconderem-se por trás de edifícios.

“Provavelmente, a pior parte foi saber que as suas balas nos poderiam atingir. Disseram-nos para prestar atenção a qualquer som de assobio vindo do ar, que isso significaria que um morteiro teria sido disparado. Disseram-nos que tínhamos 30 segundos para correr 100 metros”, disse Kim segundo o jornal The Mirror.

O programa estreou pela primeira vez em 2011 com o objetivo de sensibilizar os australianos para a questão da entrada dos refugiados no país. Em 2013 venceu um Emmy na categoria de melhor programa de entretenimento sem guião em 2013. Agora, esta terceira edição surge numa altura em que a questão dos refugiados está em debate na Austrália, devido ao número crescente dos que fogem da guerra nos seus países de origem.