O anúncio foi feito pelo diretor de informação da TVI, esta noite, no Jornal das 8. Depois de reunidos os responsáveis pelos três canais generalistas — RTP, TVI e SIC — e depois de ouvidos os partidos, chegou-se a um modelo de debates para a campanha eleitoral das eleições legislativas de 4 de outubro.

O que ficou acordado, segundo Sérgio Figueiredo, é que existirão dois debates televisivos antes das eleições legislativas, ambos transmitidos em simultâneo pelos três canais generalistas — RTP, TVI e SIC. Um frente a frente entre Passos Coelho e António Costa, ainda antes do período de campanha eleitoral, e depois um debate com os cinco líderes dos partidos com assento parlamentar — Passos Coelho, António Costa, Paulo Portas, Jerónimo de Sousa e Catarina Martins — também em direto, ao mesmo tempo, nas três televisões generalistas.

Apesar desta informação, avançada pelo diretor de informação da TVI, que dá como certo que todos os líderes partidários estarão presentes num debate “a cinco”, o Observador sabe que ainda falta a confirmação de Paulo Portas. Aliás, a presença de Paulo Portas, cujo partido vai às eleições coligado com o PSD, tem causado polémica. O PS rejeita a participação do líder do CDS, argumentando que a coligação Portugal à Frente já estaria representada nos debates por Passos Coelho. No seguimento da polémica, Os Verdes vieram também reclamar presença nos debates, uma vez que fazem parte de uma coligação com o PCP, que concorre às eleições legislativas, a CDU.

Sérgio Figueiredo afirmou que não havia ainda datas fechadas, adiantando apenas que o frente a frente entre Passos e Costa vai acontecer depois do debate já agendado para 10 de setembro, que será transmitido em simultâneo na Antena 1, Renascença e TSF.

O diretor de informação da TVI revelou que a primeira proposta do canal passava, além dos frente a frente habituais sorteados pelos três canais, pela realização de três frente a frente entre Passos e Costa e um debate a cinco, mas que rapidamente se concluiu que tal proposta seria impossível de conciliar com as agendas dos partidos.

Sérgio Figueiredo anunciou ainda que, durante os quinze dias da campanha eleitoral, a TVI vai divulgar sondagens todos os dias, à semelhança do que se faz no Brasil e nos Estados Unidos.