Ao que tudo indica, o tempo vai estar de feição. A chuva que (quase) todos os anos cai vai falhar desta vez mas atenção que à noite o frio aperta no vale do Coura (as temperaturas mínimas vão estar pouco acima dos 10ºC). No dia 21 (sexta-feira), o terceiro desta edição do Vodafone Paredes de Coura, os The War on Drugs serão um motor em rotação máxima que promete manter toda a gente aquecida. A banda de Filadélfia (EUA) regressa ao norte do país para apresentar “Lost in the Dream”, o terceiro produto (LP, 2014) de Adam Granduciel, que o escreveu numa fase escura e depressiva. Fazemos votos que o ar fresco e o público na praia fluvial do Taboão lhe levante a moral. Sem pressões.

Há mais dois nomes grandes no palco Vodafone neste terceiro dia, e a ritmos diferentes. Charles Bradley pode ter passado metade da vida escondido, mas é hoje considerado uma “velha alma” da música soul norte-americana. Mais música para aquecer, a não perder.

Antes, Mark Lanegan apresenta “Phantom Radio” (2014) com a promessa de uma hora densa e negra como a noite. O ex-vocalista dos míticos Screaming Trees dispensará apresentações até para muitos dos mais novos, tantas foram as colaborações ao longo de 30 anos de carreira.

Com outra leveza, no palco Vodafone tocam ainda os Allah-Las (banda de Los Angeles) e a abrir o dia (18h30) os portugueses X-Wife voltam a marcar presença nos festivais de verão de 2015. A banda do Porto tem agendado um álbum novo para breve e o primeiro single já anda por todo o lado.

No palco Vodafone FM o alinhamento contempla a (doce) luso-alemã Nicole Eitner, num convite a uma dança lenta; os espanhóis Grupo de Expertos Solynieve e uma mescla de folk, rock e country; os Waxahatchee, a banda lo-fi de Katie Crutchfield (Alabama, EUA); e os também norte-americanos Merchandise, uma banda de rock revivalista, muitos vão gostar.

De madrugada, as After Hours serão preenchidas por 45 minutos de Tanlines, uma dupla de Brooklyn (EUA), para aquecer o senhor que se lhes vai seguir, nada mais nada menos que Richard Fearless, um dos fundadores dos britânicos Death in Vegas.

Os passes gerais para os quatro dias do festival já estão esgotados, mas o Observador ainda tem um para oferecer. Abrimos um passatempo no Instagram, veja aqui como participar. Boa sorte!