Pelo menos 14 pessoas, três das quais civis subcontratados pela NATO, morreram este sábado em Cabul, na explosão causada por um carro-bomba contra um comboio de pessoal civil da Aliança Atlântica, segundo fontes oficiais.

“Recebemos há minutos, no nosso hospital, 12 mortos, incluindo um estrangeiro, cujo corpo foi retirado por tropas da NATO [sigla da designação em inglês da Organização do Tratado Atlântico Norte]”, disse à agência de notícias Efe o porta-voz do ministério afegão da Saúde, Wahidullah Mayar, ao confirmar também a existência de 66 feridos, cinco deles crianças.

O diretor de relações públicas da missão da NATO no Afeganistão, o coronel norte-americano Brian Tribus, disse à Efe que “um subcontratado civil foi morto no ataque e os outros dois morreram mais tarde, devido aos ferimentos”.

O ataque, provocado por um carro-bomba, ocorre duas semanas após uma vaga de ataques, parte deles reivindicados por rebeldes talibãs, que provocou sessenta mortos na capital afegã.

A explosão, ouvida a vários quilómetros de distância, deu-se na área residencial de Macroyan, perto de um hospital, disse à France Presse Fraïdoun Obaidi, chefe da polícia judiciária, em Cabul.