Cerca de 1.200 militares da GNR iniciam este sábado uma operação de fiscalização a motociclos, nas estradas do país com “maior intensidade” de tráfego destes veículos, e onde exista um “risco acrescido de acidente”, anunciou aquela força policial.

A operação “Moto” consiste no reforço da “fiscalização a motociclos, ciclomotores, triciclos e quadriciclos”, tendo como objetivo “proporcionar aos utentes das vias uma maior segurança” e “sensibilizar os motociclistas para uma condução responsável”.

Em comunicado, a GNR adianta que, no âmbito da operação, serão realizadas cerca de 500 ações em todo o país que vão envolver cerca de 1.200 militares de todos os Comandos Territoriais e da Unidade Nacional de Trânsito.

A GNR lembra que o envolvimento de motociclos em acidentes de viação resulta, na maior parte dos casos, em vítimas mortais ou em feridos graves.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“A maior parte dessas vítimas ocorre em cenário de despiste com colisões”, alerta a GNR, que dá alguns conselhos para reduzir a sinistralidade rodoviária associada à condução destes veículos, como conduzir dentro dos limites de velocidade definidos por lei, sobretudo dentro das localidades.

Aconselha ainda os condutores a serem prudentes, a evitarem manobras perigosas e a usarem sempre capacete de proteção e roupa adequada.