A polícia turca dispersou na terça-feira, em Istambul, com granadas de gás lacrimogéneo, balas de borracha e canhões de água, uma manifestação contra a ofensiva anticurdos do governo, detendo uma dezena de pessoas.

De acordo com a agência noticiosa francesa AFP, perto de 500 pessoas participaram na manifestação, que decorreu de forma pacífica, na zona europeia da cidade.

A intervenção da polícia ocorreu quando os manifestantes começaram a gritar palavras de ordem contra o governo conservador do presidente Recep Tayyip Erdogan, e contra a ofensiva anticurdos. Junto à praça Taksim, os manifestantes tentaram formar uma cadeia humana.

A polícia dirigiu os jatos dos canhões de água para o meio da avenida, nesta zona comercial muito movimentada, e lançou granadas de gás lacrimogéneo quando os manifestantes tentavam abrigar-se.

Um fotógrafo turco, que colabora com a AFP, foi brevemente detido, depois de ter sido dominado no chão, quando tentava tirar fotografias das pessoas detidas.

De acordo com ‘media’, um operador de câmara da agência noticiosa oficial turca Anatolia ficou ferido na sequência da intervenção policial.

A Anatolia informou que foram detidas 14 pessoas.