A agência de informações norte-americana CIA começou na quarta-feira a divulgar os “sumários diários para o Presidente”, um concentrado de informação ultrassecreta preparada especialmente para o ocupante da Casa Branca, a começar por Kennedy e Johnson.

Estes memorandos com algumas páginas, designados “President’s daily brief”, são um dos símbolos do poder do Presidente norte-americano. A divulgação destes documentos resulta dos esforços de transparência sobre o funcionamento do governo, pretendidos pelo Presidente Barack Obama, explicou o diretor da CIA, John Brennan, em discurso publicado no sítio da agência na internet.

Os sumários diários começaram a ser redigidos pela CIA para o Presidente John Kennedy, que tinha constatado no início do seu mandato que existiam informações importantes destes serviços que lhe escapavam.

Estes documentos “resumem em algumas páginas toda a informação que merece a atenção do Presidente”, segundo Brennan. A tradição, refinada e adaptada aos diferentes presidentes prosseguiu desde então, até ao Presidente Obama que agora consulta a informação num ‘tablet’ iPad, acrescentou Brennan.

Para o diretor da CIA, a publicação dos documentos é também a ocasião de mostrar ao grande público o papel crucial desempenhado pela agência para esclarecer o Presidente, por ocasião da crise de Cuba ou da guerra do Vietname, por exemplo.

A CIA teve “a coragem intelectual” de produzir uma descrição “mais ameaçadora, e como os acontecimentos o provaram, mais precisa” da situação no Vietname, irritando alguns conselheiros da Casa Branca e com risco de dececionar um Presidente que queria acreditar na melhoria da situação, sublinhou Brennan. “Em 2015, a CIA continua a descrever o mundo como o vê”, sublinhou.

Estas afirmações têm uma importância particular nos dias de hoje, em que os serviços de informações militares norte-americanos são abalados pela contestação de alguns dos seus analistas no comando militar para o Médio Oriente (Centcom), que se queixaram de terem tido relatórios ‘embelezados’ sobre a guerra ao grupo que se designa por Estado Islâmico.

Os cerca de 2.500 documentos destinados aos Presidentes Kennedy e Johnson foram publicados no sítio da CIA na internet. Os dois mil sumários destinados aos Presidentes Nixon e Ford vão ser divulgados em 2016, segundo Brennan, que não especificou quando vão ser divulgados os restantes. “O processo vai continuar”, limitou-se a dizer.