Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Há mesmo barbas e bigodes de todas as formas e feitios (e para todos os gostos). O cliché é um dos pilares do Campeonato Mundial de Barbas e Bigodes que, este fim de semana, regressou a mando da criatividade depois de um intervalo de dois anos. Resultado? Na localidade de Leogang, na Áustria, marcaram presença mais de 350 homens de um total de 20 países.

Os participantes competiram em 18 categorias naquele que é um festival conhecido pela originalidade e que faria um Eduardo Mãos de Tesoura muito orgulhoso. A iniciativa premeia, então, o melhor bigode e a melhor barba do mundo.

Mais do que anunciar o vencedor, o divertido é passar os olhos pelos concorrentes — há desde o bigode normal ao “bigode Dalí”, como escreve a edição espanhola da BBC. E, além de barbas e bigodes cuidadosa e criteriosamente penteados, os participantes podem também vestir-se a rigor.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR