A Câmara Municipal de Lisboa vai colocar em consulta pública o Plano Municipal de Gestão de Resíduos do Município de Lisboa para 2015-2020. Esse plano prevê, entre outras coisas, a criação de pelo menos cem novos ecopontos enterrados em toda a cidade.

Segundo o comunicado enviado pela autarquia às redações na quarta-feira, dia em que a decisão de enviar o plano para consulta pública foi tomada, os novos ecopontos enterrados terão “contentores que possuirão as mais recentes tecnologias na área, nomeadamente sensores de enchimento e informação digital para os cidadãos relativamente à possibilidade de utilização dos mesmos”.

Além disso, o plano prevê igualmente o “aumento da separação e valorização de resíduos através do alargamento do sistema de recolha “porta-a-porta” e instalação de ecocentros na cidade”. Esses ecocentros, lê-se no comunicado, “irão assumir-se como instalações modelo dotadas, também elas, da mais moderna tecnologia”.

A câmara não quer apenas intervir na recolha e tratamento do lixo, quer também ter um papel na “redução da produção de resíduos”. Por isso, o plano propõe a criação de um Conselho Consultivo para a Redução de Resíduos, que terá a responsabilidade de elaborar uma carta onde constem medidas concretas para a diminuição da criação de lixo em Lisboa.

A consulta pública do Plano Municipal de Gestão de Resíduos ocorrerá no prazo de 30 dias a contar da publicação no Boletim Municipal.