Um jovem macho elefante asiático, Kandula, passou toda a sua vida no Parque Zoológico Nacional Smithsonian. Mas na terça-feira, o animal com 13 anos, abandonou o Zoo em Washington D.C. em busca do par perfeito, conta a Time.

Começou uma viagem de mais de 2.000 quilómetros, até ao Oklahoma City Zoo, onde os tratadores acreditam que ele será capaz de procriar com outros elefantes fêmea, as suas companheiras nos próximos tempos. O elefante é acarinhado pela maioria dos trabalhadores do jardim zoológico que garantem que irão sentir a sua falta. “É o amor da minha vida”, disse um tratador, Debbie Flinkman, sobre Kandula. “Eu amo muito aquele miúdo”, acrescenta.

Também a diretora do zoológico, Brandie Smith, explicou que embora enviar Kandula tenha sido uma decisão difícil, sabe que esse era o caminho certo. “Eles têm facilidades. Têm uma grande equipa. Têm elefantes fêmeas que estão só a aguardar a sua chegada “, disse Brandie Smith a propósito da transferência do animal para o Zoo de Oklahoma.

A chegada de Kandula, segundo o The Washington Post, coincide com a morte de um elefante fêmea, no jardim zoológico de Oklahoma, que os deixou de luto.”Têm sido tempos muito difíceis”, disse uma porta-voz do zoológico, Tara Henson.”Ela era a nossa primogénita (…) Estamos todos em choque”, acrescenta. A morte do animal estará relacionada com uma infeção provocada por um vírus.

A porta-voz, Tara Henson, quando questionada se Kandula poderia estar em perigo respondeu assertivamente que não. “Não teríamos aceitado o elefante se não achássemos que ele ficaria bem”, explicou. Tara Henson esclareceu que tem sido estudada a estirpe que afeta os elefantes africanos e asiáticos, que oa atinge sobretudo entre os 4 e os 8 anos de idade, pelo que Kandula estará fora da zona de perigo.

Os funcionários do jardim zoológico de Oklahoma estão muito contentes por receber Kandula, assegura Henson.”Estamos animados para recebê-lo em Oklahoma City e asseguramos que a nossa comunidade vai cumprimentá-lo tremendamente”, disse.