Ava Gardner, o mais belo animal do mundo, como a batizou o poeta Jean Cocteau, viveu em Madrid entre 1954 e 1968. Naquele que foi o seu paradeiro durante quinze anos, chegou a ter três casas. Teve um pequeno chalé em La Moraleja e também dois apartamentos no El Viso. E, como não podia deixar de ser, não passou despercebida aos seus vizinhos, muito atentos às festas e noites de diversão, sobretudo no nº11 da Avenida Doctor Arce, conta o ABC. 

1950: Sensuous Hollywood star Ava Gardner (1922-1990) poses in front of a painted backdrop. She appeared in such films as 'The Killers' (1946) and 'The Barefoot Contessa' (1954) and retired to London in the 1980's. (Photo by Baron/Getty Images)

A estrela de Hollywood Ava Gardner teve uma vida boémia durante vários anos em Madrid. (Créditos: Baron/Getty Images)

As visitas à casa de Ava eram constantes, mas pouco apreciadas por quem morava ao seu lado, especialmente pelo antigo presidente da Argentina, Juan Domingo Perón, e pelo líder da direita espanhola, Blas Piñar, que nessa altura também viviam no edifício residencial. Estavam cansados do constante barulho que se ouvia todas as noites, no prédio. O espírito rebelde de Ava não se inseria no da comunidade local, habituada a um ambiente discreto e silencioso.

casa

O edifício onde Ava Gardner, Juan Domingo Perón e Blas Pinãr viveram nos anos 50 e 70, na Avenida Doctor Arce, em El Viso. Créditos: twitter/madtourmisterio

Perón não terá aguentado durante muito tempo as investidas de Ava Gardner e as suas desconsiderações. A hostilidade entre eles cresceu e as discussões passaram a ser habituais. Eram também constantes as chamadas do presidente argentino para a Guarda Civil, que repudiava o comportamento abusivo de Ava. Perón atingiu o limite e decidiu mesmo mudar-se para outra casa, no bairro Puerta del Hierro, até ao seu regresso à Argentina. Dizia que Ava não o deixava dormir.

juan perón

Juan Perón (à esquerda) e Blas Piñar (à direita). Créditos: twitter/madtourmisterio

A história com Blas Piñar foi mais atribulada. Segundo o ABC, o líder da direita espanhola, notário de profissão, cansado do ruído, apareceu uma vez à porta de Ava Gardner para lhe entregar um documento oficial contra o seu comportamento social, fazendo valer as suas funções de jurista, mas a conversa não terá corrido muito bem. Pinãr ficou realmente alterado e aborrecido com a situação, sendo que várias versões do sucedido revelam que Ava terá recebido o líder direitista completamente nua e embriagada, expulsando-o aos gritos.

O desentendimento entre eles foi marcante para o espanhol da extrema-direita que começou a sentir aversão aos norte-americanos num artigo publicado pelo ABC, intitulado de “Hipócritas”, em que criticava a política externa dos Estados Unidos.

Ava, essa, continuou a ser quem era, igual a si própria, tirando partido da sua enorme beleza.