Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A tensão entre Rússia e Turquia parece estar longe de abrandar. O primeiro-ministro russo, Dmitri Medvedev anunciou esta quinta-feira que vai adotar um conjunto de medidas económicas e humanitárias contra o país vizinho, em jeito de retaliação pelo “ato de agressão” praticado no passado dia 24 contra um caça russo. 

“O Governo recebeu ordem para elaborar um pacote de medidas económicas e humanitárias em resposta ao ato de agressão”, afirmou Medvedev, citado pelo El País, explicando que existe uma lei de “medidas especiais” à qual se pode recorrer para “garantir a segurança” do país.

Por um lado a agência de controlo da segurança alimentar russa avançou que todos os produtores alimentares turcos estarão sujeitos, a partir de hoje, a controlo laboratorial. E a agência de defesa do consumidor anunciou ter retirado já produtos alimentares turcos das prateleiras.

Por outro lado, o Governo recomendou também hoje aos turistas para não viajarem para a Turquia e dirigiu-se aos cerca de 1o mil russos que já lá estão, aconselhando-os a regressarem o quanto antes, devido a uma “iminente ameaça terrorista” naquele país.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Medvedev sugeriu ainda “suspender as negociações” no que diz respeito ao acordo que dá preferência à Turquia no que toca a matérias relacionadas com serviços e investimentos. 

O primeiro-ministro russo antecipou que Vladimir Putin poderá emitir em breve um decreto que introduzirá restrições ou proibições a atividades das empresas turcas em território russo.

Também esta quinta-feira, o Presidente russo exigiu um pedido de desculpas à Turquia, assim como a adoção de represálias aos responsáveis que abateram o caça russo que participava numa missão antiterrorista na Síria.