O Governo alemão insistiu hoje para que todos os 28 estados-membros da União Europeia aceitem financiar um plano de três mil milhões de euros com o objetivo de ajudar a Turquia a acolher refugiados sírios. “Todos os países devem contribuir para o financiamento deste plano de três mil milhões de euros”, defendeu o secretário de Estado das Finanças germânico, Jens Spahn, ao jornal Süddeutsche Zeitung.

A Europa “no seu todo” beneficiará com um acordo fiável com a Turquia, acrescentou o governante germânico, considerando que esta “é também uma questão de solidariedade europeia”.

Os dirigentes europeus e o executivo de Ancara chegaram no domingo a acordo sobre um fundo de três mil milhões de euros para ajudar a Turquia, que acolhe sozinha 2,2 milhões de refugiados sírios, em troca do seu compromisso de controlar melhor as suas fronteiras e a cooperar na luta contra os traficantes que operam os limites fronteiriços.

As modalidades concretas da canalização da ajuda ainda não foram anunciadas, designadamente a repartição da carga financeira por cada país da União Europeia.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Uma reunião dos ministros das Finanças da União Europeia está agendada para a próxima semana, em Bruxelas.

Enquanto a Europa se tenta entender sobre a repartição no acolhimento de refugiados e migrantes, a Alemanha, que se disponibilizou para receber cerca de um milhão em 2015, tenta sistematicamente introduzir um mecanismo permanente e sem quotas de distribuição destinado ao acolhimento de refugiados de guerras e perseguições.