Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O Partido Comunista manifestou esta segunda-feira “solidariedade” para com a Venezuela bolivariana e para com o partido que apoia o presidente Nicolás Maduro (PSUV), na sequência do desaire eleitoral sofrido no domingo nas eleições que deram à oposição a maioria no parlamento nacional.

Em comunicado, o PCP sublinha que “após 17 anos (e 18 atos eleitorais em que foram derrotadas) as forças contra-revolucionárias alcançaram a maioria dos lugares no Parlamento”.

Os comunistas portugueses lembram que estas eleições, consideradas uma derrota histórica do regime que está no poder na Venezuela, se realizaram “numa conjuntura económica particularmente desfavorável”. Para além da forte desvalorização do petróleo, que penaliza a economia do maior produtor da América Latina, o PC invoca “operações de desestabilização e boicote económico dos setores mais reaccionários” do país e apoiados pela ingerência de forças externas.

O PCP alerta para a “tentativa do imperialismo” de usar os resultados desfavoráveis nas eleições venezuelanas “para intensificar o seu combate aos processos de soberania e progresso social na América Latina e apela “à solidariedade com os povos e as forças progressistas e revolucionárias venezuelanas e de toda a América Latina.”

O comunicado comunista manifesta ainda confiança de que as forças progressistas vão encontrar soluções que defendam o “processo revolucionário bolivariano e as suas históricas conquistas”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR