Ténis de Mesa

Marcos Freitas ambicioso nas finais do mundial de ténis de mesa

Lisboa, 08 dez (Lusa) -- O atleta Marcos Freitas chega às Finais do Circuito Mundial de ténis de mesa, a disputar em Odivelas, "orgulhoso" por estar entre os 16 melhores do ano e com o objetivo de "ir o mais longe possível".

Autor
  • Agência Lusa

O atleta Marcos Freitas chega às Finais do Circuito Mundial de ténis de mesa, a disputar em Odivelas, “orgulhoso” por estar entre os 16 melhores do ano e com o objetivo de “ir o mais longe possível”. “Quero chegar o mais longe possível. Só estar apurado para uma prova destas já é muito bom, estamos a falar de uma competição para a qual apenas 16 jogadores se qualificaram, os 16 melhores do ano”, disse o jogador madeirense à agência Lusa.

Marcos Freitas chega à competição, que decorrerá entre 10 e 13 de dezembro no Pavilhão Multiusos de Odivelas, na qualidade de 11.º classificado do circuito mundial, que terminou em meados de novembro na Suécia.

O jogador português, oitavo do ‘ranking’ mundial e vice-campeão europeu, destacou a qualidade de todos os adversários presentes na competição e recusa falar em expetativas. “É difícil falar em expetativas. Não sei contra quem irei jogar, o sorteio será feito apenas um dia antes. Posso jogar logo o primeiro jogo contra o número um do mundo”, disse.

No ano passado, nas Finais do Circuito Mundial disputadas na Tailândia, Marcos Freitas foi terceiro na competição de singulares. O madeirense, que representa o clube francês do AS Pontoise-Cergy, acredita que o público português vai marcar presença no pavilhão de Odivelas e descreveu a competição como “uma oportunidade de ver os melhores jogadores do mundo, pois vão estar presentes sete jogadores do top-10 mundial”.

O atleta português, que já marcou presença nos Jogos Olímpicos Pequim2008 e Londres2012, destacou ainda a evolução positiva da modalidade em Portugal. “O ténis de mesa português tem evoluído bastante, sobretudo ao nível dos seniores masculinos. Já temos diversos títulos europeus. Antigamente era só nos jovens, agora estamos conseguir ganhar também nos seniores”, frisou.

Marcos Freitas estará não só na competição de singulares, mas também na de pares, ao lado do croata Andrej Gacina, com o qual faz dupla habitualmente. No setor masculino, além de Marcos Freitas, vão marcar presença os portugueses Tiago Apolónia e João Monteiro, em pares, e João Geraldo, em singulares sub-21, na qualidade de convidados do país anfitrião.

Em Odivelas vão estar os melhores mesatenistas do planeta, nomeadamente o chinês Long Ma, número um mundial e primeiro da ‘Corrida para Lisboa’, que surge no topo da lista de 16 jogadores do quadro masculino, à frente dos compatriotas Xin Xu e Zhendong Fan.

No torneio de singulares femininos marcará presença a portuguesa Fu Yu, que este ano compete na condição de convidada, mas que no ano passado entrou em prova por ‘ranking’.

“É uma prova muito complicada, estão presentes as 16 melhores do mundo, por isso só haverá jogos difíceis, ou muito difíceis”, referiu António Jorge, selecionador nacional feminino, à agência Lusa. O técnico admitiu que a prestação da mesatenista portuguesa “depende muito do sorteio [que se realiza a 09 de dezembro]”, mas assegurou que “o principal objetivo é tentar passar a primeira ronda”.

Fu Yu, que na última edição em Banquecoque chegou aos quartos-de final de singulares, vai também disputar a variante de pares com Jieni Shao, que representará Portugal na prova de singulares sub-21.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Desigualdade

Estudar é para todos?

José Ferreira Gomes

Todos os jovens merecem igual consideração e há que evitar oferecer diplomas sem valor futuro no mercado de trabalho. O facilitismo só vem prejudicar os jovens, em especial os socialmente mais frágeis

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)