Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Foram 163 os refugiados sírios que chegaram ao Canadá esta quinta-feira, transportados por um avião militar que partiu de Beirute (Líbano). Outros têm vindo a chegar ao país: no total, Trudeau prometeu acolher 25 mil refugiados vindos da Síria, até fevereiro de 2016.

O primeiro-ministro foi recebê-los pessoal e calorosamente ao aeroporto internacional Pearson, em Toronto: “Estão em casa. Bem-vindos a casa”, disse-lhes Trudeau, em declarações reproduzidas pela revista Vice, enquanto entregava prendas como brinquedos, casacos e outros instrumentos necessários para os emigrantes sírios enfrentarem o inverno canadiano.

A maioria dos refugiados, vindos da Síria, será apoiada por famílias e grupos de canadianos, que os ajudarão a instalar-se. Chegados ao aeroporto, estes 163 refugiados encontraram um terminal que fora preparado especialmente para lhes dar as boas vindas, onde vários canadianos – entre trabalhadores do aeroporto e voluntários – quiseram mostrar apoio à sua chegada.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Segundo a imprensa canadiana, os refugiados sírios ter-se-ão mostrado agradecidos perante a receção. Um deles, Kevork Jamkossian, que viajou com a sua mulher e uma filha de 16 meses, disse aos jornalistas: “Sofremos bastante. Agora, sentimo-nos como se tivéssemos saído do inferno e chegado ao paraíso”.

Em declarações à imprensa, Justin Trudeau afirmou:

Isto é uma fantástica noite, em que podemos não só mostrar a um avião cheio de novos canadianos o que é o Canadá, mas [também] mostrar ao mundo como abrir os nossos corações e dar as boas-vindas a pessoas que estão a fugir de situações extremamente difíceis. Esta noite, eles saíram do avião como refugiados, mas saíram deste terminal como residentes permanentes do Canadá. Com número de segurança social. Com cartões de saúde. E com uma oportunidade de se tornarem canadianos por inteiro”

“Como receberão estas pessoas esta noite será algo que eles recordarão para o resto das suas vidas – mas também, sei-o, algo que vocês recordarão para o resto das vossas vidas. E agradeço-vos profundamente por fazerem parte disto. Porque isto importa. Esta noite importa”, disse o novo primeiro-ministro do país aos presentes.

“Isto é algo que podemos fazer neste país porque definimos um canadiano não pela cor de pele, língua, religião, ou passado, mas por um conjunto partilhado de valores, esperanças e sonhos, que não são apenas partilhados pelos canadianos, mas por pessoas de todo o mundo”, acrescentou.