Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Nenhuma das imagens para que vai olhar nesta fotogaleria é real. Nenhuma destas pessoas existe realmente e nenhum dos artistas levou uma máquina fotográfica. Tudo o que vai ver neste artigo são quadros. E nasceram todos à luz do hiper-realismo.

Isy Brachot foi a primeira artista a usar este termo como uma forma de arte vinda da evolução do foto-realismo, cujo único objetivo era transpor o que se via numa fotografia para um quadro. A diferença está acima de tudo na definição da pintura, aproximada à alta-definição que hoje conseguimos com uma boa câmara fotográfica. E o afinco dos artistas é de tal modo forte que as imagens parecem ainda mais reais do que o momento retratado nas fotografias que tiramos normalmente.

Desde os anos sessenta até à atualidade produziram-se muitos quadros e esculturas em hiper-realismo. O Observador juntou 50 que estão muito próximas à perfeição. Explore-as na fotogaleria.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR