A polícia belga conduziu este domingo uma busca a uma casa no centro de Bruxelas. Da operação que está relacionada com os ataques terroristas em Paris, a 13 de novembro, resultaram duas detenções, garante a belga RTBF. Ao que tudo indica, os suspeitos são dois irmãos.

No entanto, nenhum dos detidos é o fugitivo Salah Abdeslam, um dos homens mais procurados na Europa e que alegadamente esteve envolvido nos ataques do último mês na capital francesa, os quais tiraram a vida a 130 pessoas.

A operação deste domingo começou por volta das 18h00 locais e concretizou-se por volta das 22h30, sendo que todos os residentes da rue de la Clé (Bruxelas) foram evacuados. Forças especiais da polícia federal foram chamadas ao local, disse Eric Van Der Sypt, porta-voz do procurador federal belga, à AFP.

Tudo aconteceu num edifício a menos de um quilómetro de distância da Grand Place, uma das praças e pontos turísticos mais populares da cidade, mas também a alguns metros de distância do bairro Molenbeek, onde Abdeslam e o já falecido irmão, Brahum, viviam.

A polícia belga continua ativamente à procura Abdeslam, de 26 anos, suspeito de ter tido um papel fundamental nos ataques de Paris. Segundo se pensa, terá regressado à capital belga um dia depois da fatídica sexta-feira 13. Uma fonte próxima contou à AFP que Abdeslam passou por três controlos policiais quando amigos o levaram de Paris para Bruxelas horas depois do atentado terrorista.

Até agora, a polícia belga já deteve oito pessoas suspeitas de estarem envolvidas nos ataques, os quais foram reivindicados pelo autoproclamado Estado Islâmico.