Se passa muito tempo sentado à secretária é provável que a comida pré-embalada seja a sua melhor amiga. A falta de tempo, quando combinada com preguiça, é metade da equação necessária para atacarmos aquelas bolachas que guardamos na gaveta. A fruta, essa, fica sempre para segundo lugar (quem tem paciência para descascar uma laranja?) e os iogurtes sem açúcar perdem encanto ao lado dos chocolates da máquina.

No entanto, as embalagens coloridas enganam e estão recheadas de corantes, adoçantes, estabilizadores e emulsionantes — tudo ingredientes artificiais — que, apesar de aumentarem significativamente a data de validade, podem causar obesidade (graças ao açúcar) e hipertensão (graças ao sal). Ninguém nega que os alimentos processados são mais práticos, funcionais e baratos mas também duplamente prejudiciais à saúde do organismo.

Para evitar que o seu corpo pague, a longo prazo, uma fatura bem cara, deve substituir os snacks empacotados por lanches mais saudáveis à base de vegetais, legumes, frutos, leguminosas ou ovos. Se o seu estilo de vida o permitir, prepare com antecedência os snacks do meio da manhã e da tarde. É importante ainda que não fique muitas horas sem comer entre as refeições principais (deve comer de três em três horas).

Em fotogaleria, reunimos 10 sugestões para trincar da próxima vez que sentir fome. É provável que depois ofereça o seu pacote de bolachas ao colega do lado. Se ele perguntar porquê, culpe o Observador — nós assumimos a responsabilidade e o corpo agradece.

Texto editado por Ana Dias Ferreira.