Orçamento do Estado

Assunção Cristas classifica orçamento como “ficção” digna de um “Óscar”

591

A candidata à presidência do CDS/PP disse esta terça-feira que o Orçamento do Estado é uma "ficção" e que António Costa e Mário Centeno merecem "nomeações claras para o Óscar".

Assunção Cristas alertou sobre o OE 2016 que "podemos estar a ver um filme que já conhecemos muito bem"

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

A candidata à presidência do CDS/PP Assunção Cristas disse esta terça-feira em Leiria que o Orçamento do Estado é uma “ficção”, na primeira sessão da volta designada “Unidos para vencer”, na qual irá ouvir os militantes do partido.

Parece uma ficção no cenário macroeconómico. Parece uma receita igual à que já conhecemos: ‘pode ser que dê’. Mas, na verdade, quando olhamos para as entidades internacionais e para as agências, o que dizem: ‘cuidado, é excessivamente otimista, não é realista, não é fidedigno’, então podemos estar a ver um filme que já conhecemos muito bem”, disse na primeira parte do seu discurso, aberto à comunicação social.

A candidata à presidência do CDS acrescentou que “se houvesse Óscares na política, certamente que haveria duas nomeações claras para o Óscar da melhor ficção, que seriam o primeiro-ministro e o ministro das Finanças”. E Assunção Cristas acredita que “eles ganhariam”.

Enumerando as várias alterações na Saúde e Educação que o governo de António Costa tem realizado, Assunção Cristas disse querer “interromper a meio” um “filme” que já conhece, porque não quer “sequer pensar em voltar a fazer os portugueses passar por aquilo que passaram”.

Para a ex-ministra, a vitória “clara e inequívoca” de Marcelo Rebelo de Sousa na eleição para a Presidência da República é uma resposta do povo.

Esse voto rejeitou aquilo que alguns já davam como adquirido, que era que o povo português está confortável e gosta desta lógica da esquerda toda junta. Isso não aconteceu. Marcelo Rebelo de Sousa foi eleito de forma clara, inequívoca e permitiu-nos recentrar e reequilibrar o espaço político”, sublinhou.

Considerando que “ninguém sabe” quando haverá eleições legislativas, Assunção Cristas lembrou que já estão marcadas as eleições para a Região Autónoma dos Açores e para as autárquicas, em 2017. “Por isso, enquanto CDS, temos de nos preparar desde o primeiro momento para sermos a melhor solução quando for o momento de os portugueses se pronunciarem nas urnas”, salientou, prometendo uma “oposição muito forte e construtiva” no sentido de “desmontar o trabalho que está a ser desfeito pelo governo neste momento”.

A candidata afirmou ainda que o CDS é um partido que “quer crescer”. “Orgulhamo-nos da nossa história, orgulhamo-nos do legado do Dr. Paulo Portas, mas queremos olhar em frente, crescer e chegar a todos os eleitores.” Por isso, Assunção Cristas convidou ainda os militantes a trazerem “alguém mais curioso, com vontade de se aproximar”, pois é “muito bem-vindo”.

“O nosso partido é aberto e disponível para acolher outros desde a primeira hora”, acrescentou, garantindo que só se candidatou à liderança do partido depois de saber que “não seria responsável por qualquer divisão” do CDS. Assunção Cristas prometeu ainda um CDS como uma “alternativa muito sólida e robusta”.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
União Europeia

Mercados abertos num mundo em convulsão

Cecilia Malmström

Se alguma coisa aprendemos com a última década é que o comércio livre já não é um dado adquirido, pelo que temos de desenvolver mais esforços para manter os mercados abertos para as nossas empresas.

Demografia

Envelhecimento e crescimento económico /premium

Manuel Villaverde Cabral

Nada é mais importante para países como Portugal do que o imparável envelhecimento da população e as suas consequências a todos os níveis da sociedade, da saúde ao potencial de crescimento económico.

Crónica

Amorfo da mãe /premium

José Diogo Quintela

O Governo deve também permitir que, no dia seguinte ao trauma que é abandonar a criança no cárcere escolar, o progenitor vá trabalhar acompanhado pelo seu próprio progenitor. Caso precise de colinho.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)