Há 8250 pessoas identificadas como muçulmanos radicalizados em França. Os números oficiais foram recolhidos em janeiro e mostram uma grande concentração destas pessoas em regiões como Paris, Calais e no Sul do país. A maior parte dos casos identificados não se limita apenas a fazer propaganda online e em cerca de 95% dos casos houve um contacto humano que levou estes indivíduos a serem vigiados de perto.

O número de pessoas identificadas como radicalizadas duplicou face a março do ano passado, altura em que as autoridades francesas encontraram cerca de 4 mil pessoas que estariam identificadas como extremistas islâmicos, segundo relata o jornal Le Figaro. Dos indivíduos agora sinalizados, 70% são homens e 20% são menores. Este relatório das autoridades francesas baseia-se em denúncias de pessoas próximas dos extremistas e identificação por parte da polícia, escola ou exército.

As autoridades francesas bloquearam no decorrer do ano passado mais de 4.800 sites, contas de Twitter e contas de Facebook que partilhavam conteúdos que apelavam à radicalização.