A agência oficial de notícias da Coreia do Sul, Yonhap, noticia que, na semana passada, foi executado um general norte-coreano por acusações de corrupção.

Citando uma fonte anónima, a agência diz que o general Ri Yong-gil, chefe do Estado Maior Conjunto do Exército do Povo, foi considerado culpado de enriquecimento ilícito. No entanto, o Governo de Pyongyang não confirmou a notícia. Ri foi promovido ao cargo em 2013.

Informações sobre execuções de altos funcionários da Coreia do Norte não são novas. No ano passado o Governo sul-coreano informou que cerca de 70 tinham sido executados desde que Kim Jong-un subiu ao poder. Da lista faz parte até um tio do líder que exercia funções de assessor tendo sido mais tarde acusado de traição.