Os amantes de séries – e aqueles que não dispensavam um único episódio de “How I Met Your Mother” ( Foi Assim que Aconteceu) – sabem a filosofia que Ted seguia religiosamente na primeira temporada da série: ele ensina aos filhos que “nada de bom acontece depois das duas da manhã”. E depois passa um episódio inteiro a explicar porquê.

Mas agora, essa teoria pode cair por chão. O psiquiatra George Vaillant, da Universidade de Harvard, diz que o seu nível de felicidade quando for mais velho e entrar na terceira idade pode mesmo ser previsto às quatro da manhã. Há alguém na sua vida para quem se sinta confortável a telefonar a essa hora para conversar sobre os seus problemas? Se respondeu que sim (e não vale telefonemas aleatórios, tipo Marcelo Rebelo de Sousa, às horas menos impróprias), então há maior probabilidade de viver mais tempo e de se sentir mais feliz.

Porquê? Porque a longevidade e a felicidade estão relacionadas com a capacidade de ser amado. Esta teoria vai ao encontro do parecer do neurocientista John Cacioppo, que explica que a solidão é de tal modo incapacitante que pode deturpar a mente e levá-lo a julgar que a busca por emoções e por relações não é compatível com o bem-estar humano, explica a Time.