A China fixou o objetivo de construir três dezenas de centrais nucleares nos corredores económicos da chamada Nova Rota da Seda, destaca esta quinta-feira o jornal oficial China Daily. 

Com este projeto, o país quer exportar as suas infraestruturas para nações do centro e sul da Ásia, Médio Oriente e até Europa.

O presidente da Corporação Nuclear da China, Sun Qin, avançou o plano mas sublinhou que o país enfrenta concorrência de um setor em rápida expansão, em que cerca de 70 países querem desenvolver projetos nucleares e as multinacionais da Rússia, Coreia do Sul e Japão desejam aproveitar esta conjuntura.

A China tem atualmente 30 reatores nucleares em funcionamento, mais 24 em construção e, no final do ano, começará as obras para a sua primeira central nuclear flutuante em águas marinhas, segundo revelou o próprio Sun.