Em Portugal não existia a tradição, ao contrário de outros países, de o Presidente da República ter um animal de estimação “oficial”, mas Marcelo Rebelo de Sousa acabou de a criar. No entanto, o cão não vai viver no Palácio de Belém.

Marcelo recebeu um pastor alemão com três meses, chamado Asa, oferta da Força Aérea que foi que entregue pelo secretário de Estado da Defesa, Marcos Perestrelo, e por elementos das Forças Armadas.

Depois de ter elogiado os cães das equipas cinotécnicas da Força Aérea na parada militar de Mafra, na passada segunda-feira, dia 21 março, o Presidente foi presenteado com um cachorro, depois de, segundo a Renascença, já ter manifestado o desejo de ter um cão. Asa apenas fez uma breve visita ao Palácio de Belém, mas tal como Marcelo Rebelo de Sousa, não vai viver na residência oficial do Presidente da República a tempo inteiro, confirmou ao Observador fonte da presidência.

O presente foi apreciado e agradecido mas o Palácio não tem condições nem espaço adequado para receber o animal de estimação de maneira a ser tratado e educado de forma correta, disse a mesma fonte. O animal está agora ao cuidado da GNR, apesar de continuar a ser o “cão do Presidente”, que o visitará sempre que possível.

Com a oferta, Marcelo entrou para a lista dos vários presidentes têm cães como animais de estimação, sendo os cães de água de Barack Obama, presidente dos EUA, os mais conhecidos. Mas Vladimir Putin também é apreciador da companhia canina e deixa mesmo um dos seus cães, Koni, assistir a reuniões com outros chefes de estado. Ora veja na fotogaleria acima.