O Tradiio foi considerado uma das 10 startups mais disruptivas do mundo, segundo o ranking da Disrupt 100, divulgado esta quarta-feira. A empresa portuguesa fundada por Alvaro Gomez, André Moniz e Miguel Leite encontra-se no décimo lugar da lista.

Segundo a Disrupt 100, “nenhuma outra plataforma conseguiu agregar, de forma efetiva, um sistema de streaming através de um sistema de crowdfunding. O Tradiio parece ser a plataforma, não só para lançar a carreira de novos artistas, mas também para providenciar uma forma sustentável de assegurar o acesso ao conteúdo. Para os fãs, um envolvimento tão profundo na história de um artista é um conceito completamente novo. O poder desta combinação é ilimitado e com potencial para crescer”.

“Ficamos ao mesmo tempo espantados e lisonjeados com este destaque. Sentimos que estamos no bom caminho e que estamos cada vez mais perto de conseguir o nosso objectivo: tornar a indústria da música mais justa para todos os artistas”, disse ao Observador Miguel Leite, o cofundador do Tradiio.

O ranking da Disrupt 100 distingue os negócios com maior potencial para modificar ou inovar, ou até mesmo criar novos mercados. As startups mais disruptivas são escolhidas por um júri constituído por empreendedores, investidores e empresários.

O Tradiio é uma plataforma de streaming de música que permite aos fãs descobrirem e apoiarem novos artistas, que lançou uma nova ferramenta no início de abril, ainda em fase de teste. O objetivo dos Círculos é “dar dinheiro aos artistas”, explicou Miguel Leite ao Observador. Como? Através de uma subscrição paga: o fã faz um donativo para ajudar os projetos a atingirem um objetivo predefinido e, em troca, tem acesso a conteúdo exclusivo.