O autoproclamado Estado Islâmico ameaçou, através de um vídeo, destruir as pirâmides no Egito. A ameaça surge num vídeo que começa com imagens da destruição do templo de Nabu, no Iraque.

O grupo terrorista divulgou, esta terça-feira, o vídeo da destruição do templo de Nabu, na cidade Nimrud – a capital da Assíria durante cerca de 150 anos no século IX a.C. – no Iraque. Nabu era uma das divindades assírias, venerada como o deus da escrita e das artes.

No mesmo vídeo, o grupo mostrou pela primeira vez a destruição de dois dos quinze portões da antiga cidade de Nínive, em Mosul, uma das cidades bastião do autoproclamado Estado Islâmico. A destruição terá acontecido em abril, mas foi agora pela primeira vez mostrada em vídeo. Os portões destruídos foram o portão Mashki – que os historiadores acreditam que era utilizado como acesso dos animais ao rio Tigre – e o portão Adad – cujo nome deriva do deus das tempestades, venerado pelos povos da Mesopotâmia (território onde se situam, atualmente, o Iraque e a Síria).

O vídeo conclui com um elemento do Estado Islâmico a ameaçar destruir as grandes pirâmides de Gizé, no Egito. As pirâmides são as únicas das 7 maravilhas do mundo que ainda continuam de pé.

No vídeo, o jihadista garante ainda que o grupo irá eliminar todos os antigos monumentos “construídos por infiéis”, como afirma o El Mundo.

https://www.youtube.com/watch?v=SPWaRUaUBSk

Desde que capturou Mosul, o autoproclamado Estado Islâmico promoveu uma série de ataques a patrimónios materiais no norte do Iraque. O EI destruiu a cidade fortificada de Hatra, as estátuas que se encontravam no museu de Mosul, as ruínas de Dur Sharrukin – uma das capitais da civilização assíria – e ainda a cidade de Nimrud. Recentemente, o grupo procedeu à destruição da cidade histórica de Palmira.