Um homem matou nesta segunda-feira à noite, com uma arma branca, um comandante da polícia em Magnanville, não muito longe de Paris, em França, antes de se barricar com a mulher e o filho da vítima na residência da família. Depois de quatro horas barricado, o raptor foi abatido pela polícia de intervenção francesa. Ao entrar na habitação, os agentes descobriram também o cadáver de uma mulher, que se pensa ser a companheira do polícia assassinado.

O polícia, de 42 anos, e que se encontrava vestido à civil, foi esfaqueado mortalmente ao chegar a casa, por volta das 21h00 locais (20h00 de Lisboa). A polícia de intervenção chegou pouco depois e os agentes estiveram várias horas a tentar negociar com o homem barricado, mas sem sucesso.

A agência ligada à organização terrorista Estado Islâmico disse na madrugada desta terça-feira que um dos seus “combatentes” esfaqueou um polícia francês até à morte num subúrbio de Paris, antes de ter sido morto numa operação policial, segundo a agência Lusa.

“Um combatente do Estado Islâmico matou um vice-comandante da polícia da cidade de Les Mureaux, assim como a sua mulher com armas brancas perto de Paris”, escreveu a agência Amaq, citada pelo SITE, um grupo norte-americano, com sede em Washington, nos Estados Unidos.

Depois de abatido o suspeito, as autoridades encontraram igualmente um rapaz de três anos, filho do comandante de polícia. A criança não tinha qualquer ferimento, mas foi avaliada por uma equipa médica no local.

https://twitter.com/sozDraken/status/742438875214303233

(Atualizado terça-feira, às 6h46)