O Museu Nacional de Arte Contemporânea – Museu do Chiado, em Lisboa, reabre esta quinta-feira o terceiro piso do edifício na rua Serpa Pinto, com uma exposição de 80 obras da coleção de arte portuguesa dos séculos XX e XXI.

“Vanguardas e Neovanguardas na arte portuguesa séculos XX e XXI” é o título desta exposição, que tem inauguração marcada para esta quinta, às 19h00, no Museu do Chiado, que iniciou obras de adaptação e remodelação em março deste ano.

De acordo com o museu, esta exposição vai contar com sete núcleos: “Retrato, autofiguração e arquétipos”, “Dos futurismos ao regresso à ordem”, “Expressionismos e surrealismo”, “Neocubismo, neorrealismo e surrealismos”, “Abstracionismos e nova figuração”, “Neovanguardas anos 60 e 70”, e “Pós-modernismos e novos media”.

A inauguração desta exposição surge na sequência da conclusão das obras no terceiro piso, na rua Serpa Pinto, e da conclusão da ligação dos dois edifícios, que a instituição agora ocupa, em conjunto com o da Rua Capelo.

Nesta mostra estão reunidos autores considerados fundamentais da moderna Historiografia de Arte Portuguesa, como Lourdes Castro, Fernando Lanhas e Joaquim Rodrigo.

Situado no centro histórico de Lisboa, o Museu do Chiado foi fundado em 1911, como Museu Nacional de Arte Contemporânea, e o seu acervo integra mais de 5.000 peças de arte, num percurso cronológico desde 1850 até à atualidade, incluindo pintura, escultura, desenho, fotografia e vídeo.