“Muita força, fofo, tens uma carreira pela frente” é um dos comentários deixados por uma fã na página de Facebook do Pedro Jorge, ex-concorrente do Masterchef Júnior e nova coqueluche das redes sociais. Tem 9 anos e, se tudo estiver a correr bem na sua vida, tem pela frente uma tarde de desenhos animados. Ser miúdo é ter-se muita coisa pela frente e nenhuma noção disso. Eu trocava alegremente a minha carreira profissional por um carreiro de formigas para ficar só a olhar, durante duas horas, numa tarde aborrecida das intermináveis férias de verão. Duvido que o Pedro Jorge tenha tardes aborrecidas.

Ele não ganhou o concurso infantil de culinária da TVI, mas tornou-se um fenómeno de popularidade. No domingo passado, a sua expulsão do programa foi o assunto mais comentado pelos utilizadores portugueses do Twitter. Houve #jesuispedrojorge por todo o lado. Os “quequinhos” que confeccionou (porque não se lembrava da palavra “muffins”) não foram suficientes para competir com garotos que parecem saber o que é uma redução ou um confit.

O trunfo do Pedro Jorge é resumido num outro comentário que podemos encontrar na sua página de Facebook com mais de 40 mil likes: “és uma criança humilde, espontânea e essa tua simplicidade é que faz com que brilhes tanto”. Sim, é verdade que as crianças são pessoas em ponto pequeno e há umas mais porreiras que outras, mas perdemos a fé na humanidade a partir do momento em que se glorificam os requisitos mínimos esperados de qualquer miúdo de 9 anos. Genuinidade aplicada às crianças parece redundância. Então o que é que o Pedro Jorge tem?

https://www.youtube.com/watch?v=ERCogoi0aI4

O Pedro Jorge tem excesso de peso e, não só gosta de cozinhar, como também gosta de comer. É um projeto patusco de bon vivant, se quisermos usar um eufemismo. Se não quisermos usar um eufemismo, é uma espécie de Fernando Mendes em miniatura. E, lá dizia a minha avó, “tudo o que é pequenino tem graça, até o crocodilo”. Mas é precisamente isso que torna preocupante o futuro do Pedro Jorge: os seus fãs adultos olham para ele como um matarruano bonsai.

O blog Casal Mistério filmou um vídeo com o Pedro Jorge a fazer uma prova cega de pastéis de nata, rodeando-o de bolos como se ele fosse uma personagem típica de uma comédia má. As pessoas escrevem no seu mural: “continua assim”. E, entretanto, o Pedro Jorge é obrigado a ser o que parece, correndo o risco paradoxal de perder as qualidades humanas que o tornaram famoso.

Era bom que deixassem o Pedro Jorge decidir o que vai parecer, como cantam os Capitão Fausto — e não quer dizer que é o que ele vá ser. Há mais genuinidade em podermos fazer essa escolha do que em sermos forçados pelas expectativas da popularidade a fazer uma carreira coerente no ofício da existência. “Eu sou como sou”, disse o ex-concorrente em entrevista ao Jornal das 8, sem se aperceber de que essa constatação atira qualquer um para o divã do psicólogo.

Ana Markl é guionista, apresentadora no Canal Q e animadora de rádio na Antena 3