O reforço e criação de “pontes para o desenvolvimento económico” de Moçambique junta esta terça-feira empresários e políticos portugueses e moçambicanos num evento em Cascais, que será encerrado pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

“Portugal é um parceiro fundamental de Moçambique, a que está unido numa forte relação umbilical através da língua, mas também pelo investimento e pela mão-de-obra”, disse à Lusa Daniel David, presidente do conselho de administração do Grupo SOICO, organizador da conferência “Moçambique-Portugal – Pontes para o desenvolvimento económico”.

“Este fórum pretende criar um debate entre políticos e empresários sobre pontes de desenvolvimento e o papel fundamental de Portugal, no âmbito da diplomacia económica moçambicana. Portugal desempenha um importantíssimo papel de ponte entre Moçambique e a Europa e o Atlântico”, disse ainda o empresário moçambicano.

O ex-Presidente moçambicano Joaquim Chissano e Luísa Diogo, antiga primeira-ministra de Moçambique juntam-se a figuras portuguesas como o ex-vice-primeiro-ministro Paulo Portas, o antigo ministro dos Negócios Estrangeiros Luís Amado, e Nuno Amado, presidente da comissão executiva do BCP, entre outros, num evento que marca o início da segunda edição do MOZEFO (2016-2017), um fórum bianual moçambicano lançado em 2014 pelo Grupo SOICO.

O evento, que decorre durante a manhã na Casa das Histórias Paula Rego, em Cascais, culmina com um Jantar de Gala no Centro de Congressos no Estoril, onde o chefe de Estado português, Marcelo Rebelo de Sousa, presidirá à homenagem de “três empresas portuguesas que foram resilientes e, apesar da crise que o país atravessa, se mantêm em Moçambique com um investimento importante”, indicou ainda o empresário moçambicano.

No jantar será ainda homenageados “dois empresários, que foram para Moçambique quase como empregados e hoje lideram projetos empresariais relevantes”, acrescentou Daniel David, que se escusou a revelar os nomes das empresas e empresários homenageados.

O Fórum MOZEFO é uma plataforma alargada de debate apostada – nos termos do seu organizador – no “crescimento económico acelerado, inclusivo e sustentável de Moçambique”.

A primeira edição do MOZEFO (2014-2015) contou com a realização de um ciclo preparatório de cinco conferências económicas, que culminou com a realização do fórum “O Futuro É Agora. Humanizando o Crescimento”, em dezembro de 2015, em Maputo.

Esta edição repete o mesmo modelo.

A rampa de lançamento para fórum de 2017 em Maputo é mais uma vez um ciclo de conferências económicas, desta vez no âmbito da diplomacia económica, a serem realizadas nos principais países investidores em Moçambique.

Portugal foi o país escolhido para o arranque deste ciclo de conferências; seguem-se a África do Sul e os Emirados Árabes Unidos.