Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O pequeno Lourenço Salvador, que nasceu a 7 de junho, 15 semanas depois de o óbito da mãe Sandra ter sido declarado, teve alta, esta segunda-feira, da Maternidade Alfredo da Costa, avança a TVI. A informação foi, entretanto, confirmada pelo próprio centro hospitalar.

Tudo leva a crer que Lourenço — ou “bebé-milagre” como foi apelidado desde o seu nascimento, às 32 semanas de gestação –, tenha ido para casa do pai. Ainda segundo a TVI, a família materna já avançou com um pedido de custódia partilhada junto do tribunal.

“É com grande regozijo que o Centro Hospitalar de Lisboa Central informa que o pequeno Lourenço, nascido a 7 de Junho, agora com 29 dias de vida, teve alta da maternidade, enquadrando os vários aspetos clínicos, sociais e psicológicos, pressupostos que constam de relatório próprio”, informou a instituição, esta terça-feira.

Lourenço nasceu prematuro, com 2.350 quilos, e foi logo transferido para a Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais, na Maternidade Alfredo da Costa, de onde já tinha saído, entretanto, dada a evolução positiva que foi apresentando. Agora, com quase um mês de idade e mais de três quilos teve alta hospitalar. O Observador tentou, sem sucesso, contactar o pai do bebé.

Recorde-se que o nascimento de Lourenço foi um feito inédito em Portugal e citado um pouco por todo o mundo, dada a raridade do caso. A mãe, Sandra, estava em morte cerebral desde fevereiro, mas a equipa de cuidados intensivos da neurocirurgia do São José, em articulação com a MAC, conseguiu manter a gravidez até às 32 semanas.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR