Rádio Observador

Hospital de São José

Lourenço, o “bebé-milagre”, já teve alta da maternidade

936

Lourenço, o bebé que nasceu quase quatro meses depois de a mãe ter sido declarada morta, no Hospital de São José, já teve alta hospitalar.

Lourenço Salvador nasceu no dia 7 de junho, às 32 semanas, com 2,350 gramas

PHILIPPE HUGUEN/AFP/Getty Images

O pequeno Lourenço Salvador, que nasceu a 7 de junho, 15 semanas depois de o óbito da mãe Sandra ter sido declarado, teve alta, esta segunda-feira, da Maternidade Alfredo da Costa, avança a TVI. A informação foi, entretanto, confirmada pelo próprio centro hospitalar.

Tudo leva a crer que Lourenço — ou “bebé-milagre” como foi apelidado desde o seu nascimento, às 32 semanas de gestação –, tenha ido para casa do pai. Ainda segundo a TVI, a família materna já avançou com um pedido de custódia partilhada junto do tribunal.

“É com grande regozijo que o Centro Hospitalar de Lisboa Central informa que o pequeno Lourenço, nascido a 7 de Junho, agora com 29 dias de vida, teve alta da maternidade, enquadrando os vários aspetos clínicos, sociais e psicológicos, pressupostos que constam de relatório próprio”, informou a instituição, esta terça-feira.

Lourenço nasceu prematuro, com 2.350 quilos, e foi logo transferido para a Unidade de Cuidados Intensivos Neonatais, na Maternidade Alfredo da Costa, de onde já tinha saído, entretanto, dada a evolução positiva que foi apresentando. Agora, com quase um mês de idade e mais de três quilos teve alta hospitalar. O Observador tentou, sem sucesso, contactar o pai do bebé.

Recorde-se que o nascimento de Lourenço foi um feito inédito em Portugal e citado um pouco por todo o mundo, dada a raridade do caso. A mãe, Sandra, estava em morte cerebral desde fevereiro, mas a equipa de cuidados intensivos da neurocirurgia do São José, em articulação com a MAC, conseguiu manter a gravidez até às 32 semanas.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Hospital de São José

Misérias e grandezas /premium

Laurinda Alves
691

Aqueles corredores [de São José] são habitados por pessoas desfiguradas por acidentes e doenças. À primeira vista é tudo muito feio, mas olhando com atenção conseguimos ver muita beleza.

Hospitais

Hospital de São José em Agosto

Jaime Nogueira Pinto
1.572

Esquecendo os meus males naquela tarde de Agosto pensei no privilégio de ali estar em São José, onde a presença do Bem se ia impondo no meio do mal, onde a caridade e a eficácia superavam tudo o resto

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)