A Europol, o serviço europeu de polícia, deteve oito dos fugitivos mais procurados na União Europeia com a ajuda de cidadãos através de uma página na internet, lançada há seis meses, anunciou esta sexta-feira instituição. Ao todo, 14 pessoas foram detidas e em oito detenções as pistas fornecidas pela plataforma online foram determinantes para a localização dos criminosos ou suspeitos de crimes, disse a Europol em comunicado.

Dos oito detidos com a ajuda dos cidadãos, seis encontravam-se num país europeu diferente do inicialmente previsto. Da lista original de fugitivos, 28 continuam a monte.

Nas última atualizações da página, a Europol incluiu o líder de uma organização criminosa da Eslováquia, um belga condenado a 25 anos de prisão por múltiplas violações, dois homicidas dinamarqueses e dois homicidas búlgaros, e um ladrão da Letónia.

Para a Europol, a atenção mediática sobre a plataforma digital mostrou ser “muito importante” e permitiu “um valor acrescentado significativo” na detenção dos fugitivos.

A página, criada pela Rede Europeia de Equipas de Busca de Fugitivos Ativos (ENFAST, na sigla em inglês), fornece informações sobre criminosos procurados internacionalmente por terem cometido ou serem suspeitos de delitos graves ou atos terroristas no continente europeu.

Alguns foram condenados a longas penas ou foram sentenciados a prisão perpétua, indicou a Europol. A plataforma é a primeira iniciativa pan-europeia que apresenta uma lista dos criminosos mais procurados. Os cidadãos da UE e de outros países podem fornecer informações pela internet e, se preferirem, anonimamente.