Alerta “spoiler”: Este artigo pode conter informações reveladoras da história da primeira e/ou segunda temporadas de Narcos. Se não pretende aceder a tais informações, não prossiga a leitura deste texto. (Depois não diga que não avisámos…)

O serviço de streaming Netflix anunciou esta terça-feira que vai haver mais duas temporadas da série Narcos, dedicada à vida de um dos maiores narcotraficantes da História e aos percursos da droga entre a Colômbia e os Estados Unidos. E já lançou um “teaser” para a terceira temporada. A notícia surge quatro dias depois da estreia da segunda temporada de Narcos. Embora “Narcos” não seja um documentário e, portanto, não se prenda com factos 100% reais, é muito provável que a morte de Escobar aconteça nos próximos episódios.

Já tínhamos sido avisados da omnipresença de um dos maiores traficantes de cocaína de sempre. Logo no primeiro episódio da série, ele é-nos apresentado assim: “Eu sou Pablo Emilio Escobar Gaviria e os meus olhos estão em todo o lado”. A expressão, que se tornou numa marca da série, parece ser literal: a Netflix afirmou, num comunicado enviado à imprensa, que a morte de Pablo Escobar não impede os produtores — uma parceria entre o Brasil e a Colômbia — de continuar a explorar os percursos do narcotráfico dos anos 80 entre a América do Sul e os Estados Unidos e Europa.

https://www.youtube.com/watch?v=HdCvg17P6FU

De acordo com esse comunicado, a terceira temporada de Narcos — protagonizada pelo ator brasileiro Wagner Moura — deverá ser lançada no inverno de 2017, mas não avança com datas. Sabe-se apenas que a equipa por detrás desta série — que conquistou 3,2 milhões de pessoas nos Estados Unidos — vai continuar a mesma: José Padilha e Eric Newman serão os produtores executivos e vão trabalhar a par da Gaumont International Television.