Imagine que toda a informação da sua empresa é encriptada. E, de repente, recebe uma chamada e a voz do outro lado a dizer-lhe que tem 24 horas para pagar um resgate no valor de 500 mil euros em troca do desbloqueio de toda a informação. Esta não é uma situação fictícia. Pode ser o testemunho real de um empresário vítima de uma nova forma de sequestro informático, que está rapidamente a tornar-se um modelo de negócio para os hackers.

De facto, no topo das tendências atuais em matéria de ciber ameaças figura o crypto ransomware, um tipo de ataque cibernético que promove o sequestro de dados vitais das organizações que, uma vez afetadas, acabam por ceder à chantagem como única saída para retomar a atividade.

O atual panorama da cibersegurança foi o cenário do Vodafone Secure Forum, um evento dedicado à apresentação do catálogo de soluções de segurança informática que garantem a prevenção e a segurança em caso de ataque.

A Vodafone apresentou, pela voz de Sofia Mendes, Diretora Large & Public Enterprise da Vodafone Portugal, o elenco de novas soluções que, enquanto operador global de comunicações, utiliza para responder a questões de segurança da sua própria rede e equipamentos, quer a nível nacional, quer internacional.

Essas soluções recorrem a tecnologia líder de mercado, já implementada em diversos países pelo Grupo Vodafone, beneficiando de elevada redundância ao nível das plataformas e da arquitetura de rede, apoiada na experiência de parceiros especializados na área da cibersegurança. Rui Duro da Check Point e Andrew Bartholomew da Arbor Networks, parceiros da Vodafone nesta área de negócio, marcaram presença no evento.

[jwplatform qjCTTyJj]

Soluções da Vodafone protegem Empresas de múltiplos riscos cibernéticos

Com esta nova oferta passam a estar disponíveis novas funcionalidades na Vodafone Secure Firewall, a solução escalável que se impôs no mercado através de um conjunto de modalidades de gestão diferenciadas que se adaptam às necessidades de cada cliente. Este serviço assegura a proteção contra ameaças informáticas, garante a salvaguarda dos dados e ainda consegue otimizar a largura de banda disponível.

O painel de análise acolheu os testemunhos de dois Clientes Vodafone: José Galvão, da Global Media e Pedro Menezes, da Ascendum. Além de confirmarem que as ameaças cibernéticas estão no topo dos perigos corporativos e identificarem quais são as principais que as empresas de dois distintos setores atravessam atualmente, analisaram e debateram as novas tendências em matéria de segurança informática e caracterizaram os benefícios das soluções já implementadas, afirmando a Vodafone como o operador parceiro na prestação de serviços de segurança. A jornada contou ainda com a participação, André Pinheiro da Rede de CSIRTs, e João Bota, Technology Security Office da Vodafone.

A resposta aos ataques DOS, caracterizada por congestionar os acessos à internet das empresas, impedindo-as de comunicar com os seus clientes e parceiros e deixando as suas lojas e plataformas de serviços online indisponíveis, é assegurada pelo Vodafone Secure Anti DDoS que faz a mitigação deste tipo de ameaça.

Para qualquer organização, mesmo para aquelas que não desenvolvem comércio eletrónico mas mantém uma página com conteúdos, é essencial assegurar o acesso à internet sem disrupções sob pena de se perderem clientes que não voltam duas vezes a um endereço corrompido por um ataque DDoS. Para além disso, a solução Vodafone Secure Anti DDoS mantém intacta a reputação das empresas.

Esta solução é baseada em tecnologia líder da Arbor Networks, empresa que possui um vasto portefólio de grandes clientes empresariais, nomeadamente 90% dos fornecedores mundiais de internet, oito dos 10 maiores fornecedores de serviços na cloud, e três das cinco maiores redes sociais.

Por fim, o lançamento do Vodafone Security Operations Centre (SOC) garante a monitorização, análise e gestão de incidentes de cibersegurança em permanência no perímetro da rede dos clientes, 24 horas por dia através de especialistas experientes e devidamente certificados da Vodafone.

Esta é uma solução que a Vodafone, enquanto operador global de comunicações, utiliza para proteger a sua própria rede, quer a nível nacional quer internacional, e que agora disponibiliza aos seus Clientes.

As empresas conseguem assim aumentar os níveis de visibilidade sem comprometer a segurança, ao mesmo tempo que otimizam a utilização da rede. Além da deteção de ameaças em tempo real, da análise forense e da disponibilização de relatórios de incidentes de segurança, a solução Vodafone Secure Operations Centre permite reduzir os custos operacionais com equipas especializadas.

A análise do Novo Regulamento Geral de Proteção de Dados Pessoais, que entrará em vigor na União Europeia em 25 de maio de 2018, ficou a cargo de Ana Rocha do Escritório CCA OnTIER.

No Vodafone Secure Forum, a empresa reforçou o seu posicionamento como fornecedor de um portefólio de segurança com soluções modulares e complementares entre si, adaptando-se às necessidades e especificidades das empresas que constituem o tecido empresarial português, desde o empresário em nome individual às grandes companhias, públicas ou privadas, passando pelas pequenas e médias empresas.